Clique aqui para conhecer nossa Política de Privacidade 
Página Principal  / Cão-guia na Mobilidade

Cão-guia na Mobilidade


 

O projeto Cão-guia na Mobilidade é uma iniciativa da Prefeitura de Campinas que tem o objetivo de ampliar a mobilidade e autonomia das pessoas com deficiência visual (cegas e de baixa visão). O projeto promove inclusão social, qualidade de vida e segurança nos deslocamentos.

A ação de incentivo ao uso do cão-guia envolve a Secretaria Municipal de Transportes (Setransp), a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos e o
 Instituto Magnus, com apoio da Secretaria Municipal de Educação.

O papel inicial da Emdec e das secretarias é divulgar o trabalho do Instituto Magnus às pessoas com deficiência visual e à sociedade em geral. Em uma segunda fase, haverá cursos, treinamentos e sensibilizações. O
s motoristas de ônibus, táxi e transporte por aplicativo serão capacitados a receberem o cão-guia nos veículos.

Veja no quadro o objetivo e as etapas do projeto:


Imagem: Freepik

OBJETIVO

Ampliar a mobilidade, autonomia e segurança das pessoas com deficiência visual severa e cegueira, estimulando a utilização do cão-guia em Campinas.

FASE 1

- Campanha de informação à sociedade, para conhecimento a respeito do uso dos cães-guia;
- Incentivo à
 inscrição das pessoas cegas e com baixa visão no programa.

FASE 2

- Cursos, treinamentos e sensibilizações para pessoas cegas, sociedade em geral e profissionais do sistema de transporte;
- Qualificação gradativa das políticas públicas de atendimento às necessidades apresentadas no projeto.

Os resultados esperados no município são os seguintes:

- Ampliar as informações da sociedade a respeito dos cães-guia.
- Ampliar a adesão das pessoas cegas e com baixa visão à utilização do cão-guia.
- Qualificar o atendimento no sistema de transportes da cidade.
- Qualificar as políticas públicas para o segmento, integrando o projeto a outros projetos intersetoriais.

A iniciativa atende à
 Lei Municipal nº 15.856, de 16 de dezembro de 2019, que acresce e altera dispositivos da Lei Municipal nº 15.449, de 28 de junho de 2017, que estabelece o direito de as pessoas com deficiência ou com necessidades especiais serem acompanhadas por cães de assistência.

 


COMO SE INSCREVER


Imagem: Instituto Magnus

Para terem acesso a um cão-guia, as pessoas com deficiência visual devem participar de um processo seletivo, inscrevendo-se no site do Instituto Magnus ou manifestando interesse pelo e-mail contato@institutomagnus.org. É necessário fornecer dados pessoais, responder a um questionário sobre atividades e rotinas e enviar documentação comprobatória.

Critérios para a participação no processo seletivo:

- Ser diagnosticado com cegueira ou deficiência visual severa (Art. 2º, inciso I, do
 Decreto Federal nº 5.904, de 21 de setembro de 2006);
- Ser residente e domiciliado na região de atendimento;
- Ser maior de 18 anos de idade;
- Ter capacidade de se locomover de maneira independente em diferentes rotas do cotidiano;
- Ter condições de saúde que possibilitem o uso do cão-guia.

A inscrição on-line é a primeira etapa do processo seletivo. A triagem também envolve etapas presenciais e visitas da equipe do instituto à residência dos interessados.


Socialização dos cães-guia
Também é possível participar do processo de socialização do animal, recebendo-o como família socializadora. É preciso ter disponibilidade de tempo para ambientar o cão nos mais diversos espaços, ao longo de um ano, inclusive convivendo com outras pessoas e animais. A família voluntária que participa da formação do cão-guia tem o direito garantido de entrar em estabelecimentos públicos e privados de uso coletivo
(Lei Federal nº 11.126, de 27 de junho de 2005 e Decreto Federal nº 5.904, de 21 de setembro de 2006).



TIRA-DÚVIDAS



Imagem: Freepik

O que é um cão-guia?

O cão-guia é um animal treinado especialmente para auxiliar pessoas com deficiência visual em seu cotidiano, atuando como os olhos de quem não pode enxergar. Ele concede maior autonomia e segurança a estas pessoas.

Ao auxiliarem na mobilidade, os cães-guia são essenciais no desenvolvimento da autoestima e na promoção da qualidade de vida.


Como os cães-guia são treinados?

Os cães são selecionados em várias localidades do país e passam por um rigoroso aprendizado, que normalmente dura de um ano e meio a dois anos, sendo composto por três fases: socialização, treinamento e instrução.

O processo começa quando os animais ainda são filhotes. Em um primeiro momento, eles convivem com famílias voluntárias, para socializarem e aprenderem comandos simples. Na segunda fase, recebem treinamento específico para guiarem pessoas com deficiência visual. Por fim, são instruídos junto com o tutor.

O animal deve ser inteligente, dócil e de médio ou grande porte, pois precisa de força para guiar os humanos. As raças mais comuns são o labrador e o golden retriever.


Qual o passo a passo para a pessoa com deficiência visual ter um cão-guia?

A pessoa interessada em ter um cão-guia passa por um processo de seleção estabelecido por um instituto credenciado. Para se inscrever, deve cumprir o regulamento e outras exigências presentes nas etapas de classificação.

São analisados o perfil pessoal, o local de moradia, o nível de autonomia na mobilidade e 
as atividades e rotinas do dia a dia

Após essas etapas, começa o processo de adaptação entre o cão e o candidato. 

Acesse todas as informações no site do Instituto Magnus

Por que o Instituto Magnus?

Para apoiarem o projeto Cão-guia na Mobilidade, a Setransp e a Emdec pesquisaram instituições com experiência nesta formação. O Brasil possui apenas duas aprovadas pela
 Federação Internacional de Cão-Guia (International Guide Dog Federation - IGDF): Helen Kellen, que fica em Florianópolis-SC, e Instituto Magnus, de Salto de Pirapora-SP. Dos três instrutores capacitados a treinar cães-guia segundo os padrões internacionais, dois atuam no Magnus.

O Instituto Magnus é o maior centro de treinamento de cães-guia da América Latina, e atende Campinas e região. A instituição já entregou 37 cães pelo Brasil, e serão mais oito 
até o final de 2021. Tem a capacidade de treinar 60 cães por ano, mas este número depende de quantas famílias socializadoras participam do projeto.


Assista ao vídeo do Instituto Magnus sobre o Programa Cão-Guia, que está sendo apoiado em Campinas pela Setransp e Emdec!

 


 

NÚMEROS


Imagem: Instituto Magnus

200
É o número de cães-guia em atividade no Brasil, de acordo com o Instituto Magnus.
Campinas possui apenas um.

5.069
Pessoas tinham deficiência visual - cegueira em 2010 em Campinas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

25.081
Pessoas tinham alto grau de dificuldade visual em 2010 em Campinas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).



NOTÍCIAS

25.11.2021
Campinas firma parceria com o Instituto Magnus para incentivar uso de cão-guia




CRÉDITOS DAS IMAGENS


Cidade foto criado por prostooleh - br.freepik.com
 

 Icons made by Freepik from www.flaticon.com 

 

Serviços


EMDEC - Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas S/A - CNPJ 44.602.720/0001-00
Rua Dr. Salles Oliveira, 1.028, Vila Industrial, CEP 13035-270 - Campinas-SP
Fale Conosco Emdec 118


© Copyright. Melhor visualizado em 1024x768. Site homologado para navegadores: IE10, Chrome30, Firefox30 e superiores.
Interagi Tecnologia